Uma flor de verde pinho


Nom:
 
Recueil:
 
Autre traduction:
Manuel Alegre »»
 
Inéditos (1976) »»
 
Italien »»
«« précédent /  Sommaire / suivant »»
________________


Uma flor de verde pinho
Un fiore di verde pino


Eu podia chamar-te pátria minha
dar-te o mais lindo nome português
podia dar-te um nome de rainha
que este amor é de Pedro por Inês.

Mas não há forma não há verso não há leito
para este fogo amor para este rio.
Como dizer um coração fora do peito?
Meu amor transbordou. E eu sem navio.

Gostar de ti é um poema que não digo
que não há taça amor para este vinho
não há guitarra nem cantar de amigo
não há flor não há flor de verde pinho.

Não há barco nem trigo não há trevo
não há palavras para dizer esta canção.
Gostar de ti é um poema que não escrevo.
Que há um rio sem leito. E eu sem coração.

Je pourrais t'appeler ma patrie
te donner le plus beau des noms portugais
Je pourrais te donner le nom d'une reine
Que l'amour d'un Pedro eut donné à Inês.

Mais il n'est pas de forme, ou de vers ou de lit
pour cet amour de feu, pour cette rivière.
Comment dire un cœur sorti de sa poitrine ?
Mon amour a débordé. Et je suis sans navire.

Pour t'aimer il n'est pas de poème qui se dise
Il n'est pas de coupe d'amour pour ce vin
il n'est pas de guitare ou d'ami qui te chante
il n'est pas de fleur, pas de fleur de pin vert.

Il n'est pas de navire ou de blé, pas de trèfles
il n'est pas de mots pour dire cette chanson.
Pour t'aimer il n'est pas de poème qui s'écrive.
La rivière n'a plus de lit. Et j'ai perdu mon cœur.

________________

John Waterhouse
Miranda et la tempête (1916)
...

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire