Onde a poesia se exibe...


Nom :
 
Recueil :
 
Autre traduction :
António Ramos Rosa »»
 
O Sol é Todo o Espaço (2002) »»
 
Italien »»
«« précédent / Sommaire / suivant »»
________________


Onde a poesia se exibe...
Là où la poésie offre...


Onde a poesia se exibe como um espectáculo espectacular
não é poesia
onde a audácia do poema não é única
não é poesia
onde a poesia não é inocência de natureza fluvial
não é poesia
onde a poesia não é escandalosamente pura
não é poesia
onde a poesia não é filha do deserto nem da sede
não é poesia
onde a poesia não é presença viva que nasce
[da solidão e da ausência
não é poesia
onde a poesia não se oferece no seu abandono
não é poesia
onde a poesia não é poesia
não é poesia

Là où la poésie offre un spectacle sensationnel
Il n'y a pas de poésie
Là où l'audace du poème n'est pas première
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie n'a pas l'innocence d'un naturel fluvial
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie n'est pas scandaleusement pure
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie n'est pas fille du désert ou de la soif
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie n'est pas la présence vivante née de
[la solitude et de l'absence
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie ne s'offre ni ne s'abandonne
Il n'y a pas de poésie
Là où la poésie n'est pas, poésie
Il n'y a pas de poésie

________________

Marc Chagall
Le violoniste vert (1923)

Aucun commentaire:

Publier un commentaire